quarta-feira, 6 de maio de 2009

Novos Tempos




A atual crise econômica tem nos levado a rever conceitos e a sermos criativos. Estamos vivendo uma urgência como se não houvesse amanhã.



A vida parece fugaz, estamos sempre com pressa. Estamos constantemente correndo atrás. O que não sabemos é atrás de quê. Perdemos a capacidade de prestar atenção às pessoas e as coisas.



Há um predomínio do ego em nosso comportamento.



O prazer efêmero da posse nos impele ao consumo desenfreado e queremos sempre mais, sonhando com o quê não temos.



Não sabemos mais conversar e temos receio do contato. Tudo isso está gerando uma exaustão e ansiamos por mudanças.



Beth Furtado, autora do livro desejos contemporâneos diz que começa a surgir uma nova safra de desejos, que queremos sensibilidade, personalização, inclusão, momentos memoráveis e sensações em lugar de bens materiais. Há um desejo por uma vida mais simples em que nos dediquemos menos tempo às compras. É um tempo de gastar com o necessário e o de descobrir novas fontes de satisfação, fora das vitrines; pois compar não resolve as questões da alma.



Novos tempos! Quem sabe novos formatos de desejos, novas formas de amor, novas formas de relacionamentos, novas formas de contatos e de valores.

9 comentários:

Márcia Rangel disse...

Oi Pessoal! Desculpem pela cor.É para lermos bem devagar, sem pressa!Márcia Rangel

Aparecida disse...

Não sei se fico alegre ou triste. Alegre porque enfim uma postagem da Márcia. Deve ser muito boa, pena que não dá para ler. Essa é a parte triste. Dá para refazer Márcia? Desculpe o pedido, mas é porque gosto muito das suas postagens. Desde já fico agradecida. Cida.

Danuza disse...

Muito boa reflexão Márcia!! Estamos, como os cães: correndo atrás do nosso próprio rabo e quando, finalmente, o alcançamos com uma mordida, nos damos conta da cena patética que estamos protAGONIZANDO...Beijos. Danuza

Anônimo disse...

Olá DAN , você é D+ sintetizou o momento que estamos vivendo... Bj grande.

Anônimo disse...

Oi Dan, saiu como anônimo desculpa.

Danuza disse...

Saiu como anônimo de novo, mas eu sei quem é...rs...
Só para complementar a reflexão...
"Ó doçura da vida: agonizar a toda a hora sob a pena da morte, em vez de morrer de um só golpe." (William Shakespeare)

Tetê disse...

Marcinha,
o pior é que é pura realidade!!
Atitude! vamos nos unir e acreditar só nisso:
Atitude
!! bju linda!!!

Minha intensão aqui é apenas compartilhar textos, frases, idéias que a princípio não tem a pretensão de ser de minha autoria. disse...

Márcia Rangel

Demorou um pouco, mas uma bela postagem!!!
Vamos contaminar àqueles que nos cercam com esse resgate dos tempos mais plenos e que tanto saciavam a alma...
Adoro ler o que vcs escrevem. Beijo enorme.

Rita de Cassia disse...

É irmã sua postagem está bombando. Foram tantos os comentários... Parabéns pela sua sensibilidade. Y love you. RC