quarta-feira, 4 de março de 2009

Março Mês da Mulher



Cora Coralina


Pseudônimo de Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas (1889-1985).
Uma das maiores poetisas da Lingua Portuguesa, mulher frágil de poderosas palavras, escrevia com simplicidade sobre sua vida pessoal e seu cotidiano na cidade de Goiáis.
Criou em 1908, com suas amigas o jornal de poemas femininos intitulado "A Rosa". Foi convidada por Monteiro Lobato para participar da semana de arte moderna de 1922, mas foi impedida pelo marido.
Cora Coralina sempre buscou entender o mundo no qual estava inserida, permitindo assim a descoberta de como a simplicidade pode ser o melhor caminho para atingir a plenitude interior. Foi um belo exemplo de coragem e alegria de viver.




Assim eu vejo a vida


A vida tem duas faces:
Positiva e negativa
O passado foi duro
Mas deixou o seu legado
Saber viver é a grande sabedoria
Que eu possa dignificar
Minha condição de mulher,

Aceitar suas limitações

E me fazer pedra de segurança

dos valores que vão desmoronando.

Nasci em tempos rudes

Aceitei contradições

Lutas e Pedras

Como lições de vida

e delas me sirvo

Aprendi a Viver

Cora Coralina


6 comentários:

Márcia Justiniano disse...

Ela diz que aprendeu a viver, mas será que foi feliz?

Bjcs

pvitor disse...

Pôxa, esse poema fez parte da minha adolescência , tinha tempo que não o apreciava . Só Me Fez Bem !!! legal.:)
Bjs,

daniel disse...

Qué hermoso poema, no conocía a esta poetiza, tú publicación me abre una nueva ventana al mundo de la poesía, estuve estos días leyendo a otras poetizas sudamericanas, y ahora este encuentro me permitírá conocer a esta escritora. Un saludo

Tecnenfermaginando disse...

oi, márcias!!

super fim-de-semana pra vcs!

bjo no coração!

Tecnenfermaginando disse...

oie, meninas!!

passei pra deixar um beijinho de bom domingo das mulheres pra nós!

no coração!

Márcia Justiniano disse...

Teresa, adoro suas visitas, é muito bom saber que mesmo sem post, você está por aqui.
Um domingo bem lindo para vc.

Abraço com muita energia positiva.